terça-feira, junho 22, 2004

Romantismo à Portuguesa

Vinha eu para minha casita (em tempo de comemoração da grande vitória da nossa selecção sobre os muchachos daquele paízeco aqui ao lado) quando comecei a reparar em algumas frases escritas pelos portugueses românticos e expansivos que por aí andam. Ou melhor, não propriamente nas frases (que não são muito creativas, sublinhe-se: amo-te fulana de tal, amo-te sicrana, amo-te beltrana, etc e tal), mas no local onde elas são escritas.

Aos locais habituais mais usados e meus conhecidos (paredes, árvores), reparei que é também costume agora encontrarem-se declarações em sítios um pouco... estranhos:
- carros onde a sujidade seja tanta que a remoção da mesma com o dedo dê para fazer de objecto de escrita;
- cimento fresco que ao solidificar mantenha a declaração para a eternidade;
- paralelos da calçada (?!);
- e a melhor de todas, CAIXOTES DO LIXO!!! Ao pé de minha casa é ver um belo "Amo-te Cátia" nos bonitos recipientes verdes e a cheirar a podre... a Cátia deve ser uma rapariga de sorte;

As raparigas visadas devem sentir-se mesmo bem ao saber que o seu namorado/pretendente gosta tanto dela ao ponto de escrever em... CAIXOTES DO LIXO!!! Desde que a seguir tome um bom banho...

Enfim, o amor é belo... e ás vezes cheira mal

1 Comentários:

Às 9:27 da manhã , Blogger alphatocopherol disse...

O amor pode ser um grande caixote do lixo, ou não...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial